Posts Tagged ‘Foo Fighters

13
mar
10

Aqueles que estão devendo

Alguns bons artistas andam devendo novos trabalhos, canções inéditas, inovações, enfim. Não vou mencionar aqueles que já partiram dessa para uma melhor, até porque seria um desaforo, mas tem gente que faz tempo que encostou o burrinho numa sombra e lá ficou.

Damien Rice – Último álbum de “novas” lançado em 2006 trouxe um trabalho consistente. O clima depressivo das músicas parece ter se intensificado com o passar do tempo. Além disso, fez uns bons shows quando esteve no Brasil, no início de 2009. Mas parou aí. Já tá na hora de acordar e compôr de novo.

Chico Buarque – Olha, não sei dizer quando foi a última vez em que fez um disco de inéditas, que nem nos bons tempos de ditadura militar (“bons tempos” não foi direcionado ao regime, e sim à inspiração do compositor). Ele que é disparado um dos melhores letristas brasileiros parece que perdeu o jeito com o fim da ebulição política brasileira das décadas de 60 a 80.

Los Hermanos e Foo Fighters – Resolvi colocá-los no mesmo parágrafo porque o chamado “chove e não molha” não engana mais ninguém. Ou as bandas terminaram de vez, ou ainda estão juntos. Esse papo de hiato para um possível retorno dentro de alguns anos não cola mais. Ambos estão devendo.

The Strokes – Faz uns bons anos que tenho ouvido histórias do tipo “eles já terminaram de compôr, agora vão começar a gravar. Pois é. Gravações bem longas. Mas vale uma menção honrosa para Fab Moretti e Julian Casablancas que desenvolveram bons projetos paralelos nesse período de vacas magras. Último álbum foi o First Impressions of Earth, também de 2006.

Menções honrosas: Dave Matthews Band, que ficou um bom período lançando apenas álbuns ao vivo (aliás, excelentes discos, mas enfim). Ben Harper, que mantém uma boa regularidade e a cada trabalho se supera e vai além. E, por fim, John Mayer. Há pouquíssimo tempo voltou a produzir um disco de inéditas. Devo confessar que ainda não o ouvi, mas assim que o fizer, venho postar as impressões.

07
jul
09

Independence Day rende bons frutos musicais

noticiabrunofa9

Você já viu essa cena antes...

Você já viu essa cena antes...

O dia 4 de Julho é conhecido mundialmente como o dia da independência do maior centro capitalista do planeta, os Estados Unidos. Por lá, enquanto uns vivem com medo de sofrer um novo ataque terrorista no maior estilo 11 de Setembro e outros aguardam em filas homéricas para dar o último adeus à Michael Jackson, poucos ligam para os eventos comemorativos espalhados pelo país. Em um deles, para a alegria dos rockeiros, a banda Foo Fighters apresentou duas músicas inéditas. Foi na Casa Branca, residência do presidente estadunidense Barack Obama. No entanto, devido ao conflituoso problema de direitos autorais, a banda retirou todos os vídeos relacionados aos dois novos sucessos de todos os sites de vídeos e playlists. Assim, quem gosta de Foo Fighters só poderá conferir o novo material no álbum que ainda deverá demorar um pouquinho para chegar às lojas. O que se sabe, contudo, é que será uma coletânea com os maiores sucessos do grupo e mais algumas faixas inéditas. Vale a pena esperar.

Enquanto ninguém sabe do novo disco, o rock’n roll train seleciona alguns dos clássicos para você

PLAY

Acompanhe as principais novidades do rock’n roll train também no twitter. Siga!

05
jun
09

Foo Fighters junta clássicos em DVD

noticiabrunofa9
Os norte-americanos do Foo Fighters lotaram o lendário palco de Wembley

Os norte-americanos do Foo Fighters lotaram o lendário palco de Wembley

No ano passado, os norte-americanos do Foo Fighters fizeram dois shows no lendário estádio de Wembley, na Inglaterra. Daí surgiu o DVD “Foo Fighters Live At Wembley Stadium”, que faz uma releitura da carreira da banda ao apresentar os maiores clássicos dentre as diversas fases do grupo. Àqueles que sonham em um dia vê-los aqui no Brasil, vale a pena dar uma conferida no DVD. O clima dos shows é empolgante e Dave Grohl e companhia parecem em total sintonia com a extasiada platéia.

Para os rockeiros mais antigos, que sentem aquela pontinha de preconceito nostálgico com as bandas de sucesso recentes, vale a pena esperar até o final, pois a recompensa certamente virá. Visivelmente emocionado, Grohl chama ao palco nada mais nada menos do que Jimmy Page e John Paul Jones, ex-integrantes da lendária banda Led Zeppelin. Nesse momento, o baterista do Foo Fighters, Taylor Hawkins, assume o microfone, enquanto Dave Grohl vai às baquetas – relembrando os tempos de Nirvana. O clássico escolhido pelo quarteto foi a animada Rock n’ Roll.

Abaixo temos o vídeo do desempenho junto com os ‘dinossauros’ do Led Zeppelin

‘My Hero’, um dos grandes clássicos da banda, também foi lembrada

O Foo Fighters emocionou no encerramento do show com a bela ‘Best Of You’

05
abr
09

15 anos sem um dos maiores ícones do grunge

bibliografiabrunoei3

Nascido na costa oeste americana em 20 de fevereiro de 1967, Kurt Cobain construiu uma sólida carreira, marcada por uma vida social desregrada e inúmeras polêmicas. No mundo do rock, marcou a adolescência de muitos jovens, que cultuam até hoje o seu legado. Legado esse que é severamente criticado por grande parcela dos apreciadores do grunge ou do rock n’ roll em geral, que contestam duramente a qualidade do Nirvana – banda liderada pelo ex-vocalista.

Aparentemente sereno, Cobain tinha personalidade difícil e conflitante

Aparentemente sereno, Cobain tinha personalidade difícil e conflitante

Dono de uma vida pessoal extremamente conturbada, marcada pelo vício em heroína e pelo relacionamento polêmico com Courtney Love, Cobain faleceu no dia 5 de abril de 1994, quando foi encontrado morto em sua própria casa – em Seattle. O dia de hoje marca o 15º aniversário da trágica morte do cantor, que deixou saudades entre os aficcionados pela sua música.

A última linha do Nirvana, antes da morte de seu líder, ainda contava com dois de seus fundadores: o próprio Kurt Cobain e Krist Novoselic – ex-baixista e amigo de Cobain desde os tempos de colégio. Quem completava o trio era aquele que conseguiu uma enorme carreira de sucesso após o término do grupo – o baterista Dave Grohl. Em conflito constante com Cobain e Novoselic, Grohl criou uma série de composições e demos que nunca foram usados pelo Nirvana. Desta maneira, após a morte de Cobain, ele se usou desse material para fundar o Foo Fighters – que está na ativa até hoje (vale lembrar que no Foo Fighters, o versátil Dave é vocalista e guitarrista) .

A personalidade de Kurt Cobain nunca foi fácil, e esse foi um dos grandes motivos para a quantidade excessiva de brigas dentro e fora da banda. Mesmo assim, o respeito adquirido pelo Nirvana é grande parte atribuido ao seu nome. Apesar das duras críticas vinculadas à seu respeito e as dúvidas questionando a qualidade da banda, é inegável que o Nirvana marcou época – principalmente para os jovens que viviam suas fases mais rebeldes e viam na banda uma forma de se expressar e de mostrar seus sentimentos.

Músicas do Nirvana que pedem volume máximo

1ª Smells Like Teen Spirit

2ª You Know You’re Right

3ª Rape Me

28
fev
09

10 anos atrás… 10 álbuns que você deveria ouvir

sugestesfilipeil1

rhcp1 Red Hot Chilli Peppers – Californication (Junho, 1999)

Um dos álbuns de maior sucesso do mundo do rock no ano de 1999 foi lançado no mês de junho. Californication é o sétimo disco do Red Hot Chilli Peppers e considerado por muitos a obra-prima da banda norte-americana. Ao todo, foram vendidas mais de 15 milhões de cópias e emplacou o terceiro lugar no top 200 da Billboard. Entre os hits de sucesso estão Around The World, Otherside e Scar Tissue, premiada posteriormente com o Grammy de “Melhor Canção de Rock”.

20051104122806-04Ben Harper and The Innocent Criminals – Burn To Shine (Setembro, 1999)

Quarto álbum do polivalente Ben Harper, dessa vez, ao lado do excelente conjunto The Innocent Criminals. Mais um mix de sonoridades com elementos do rock, folk, reggae e visitando até o gospel. Isso tudo sem deixar de lado a boa e velha guitarra havaina. O que não falta neste disco são singles com letras bem desenvolvidas. Mas este é – acima de tudo – um trabalho de pura criatividade. Entre os destaques estão The Woman In You, Please Bleed e a canção que dá título ao disco, Burn To Shine.

album-foo-fighters-there-is-nothing-left-to-lose Foo Fighters – There’s Nothing Left To Loose (Novembro, 1999)

O álbum mal foi lançado e já emplacou diversas músicas entre as mais tocadas do planeta. Breakout, inclusive, foi tema do filme Eu, Eu Mesmo e Irene. O disco começa intenso com a poderosa Stacked Actors e não diminui a potência até o final da última faixa. É o terceiro cd dos americanos do Foo Fighters, que contam Dave Grohl (ex-Nirvana) como responsável pelos vocais e guitarras da banda. Menção honrosa para Learn To Fly, Generator e Aurora.

santana-supernatural Santana – Supernatural (junho, 1999)

Décimo disco solo do mais popular compositor mexicano, sem dúvidas uma de suas obras de arte – talvez uma das mais premiadas e reconhecidas mundial. Faturou de uma só vez dois dos Grammys mais importantes: Melhor Álbum e Melhor Gravação por Smooth, que conta com os vocais de Rob Thomas. Ouça The Calling com a presença de Eric Clapton e Corazon Espinado com os também mexicanos do Maná. Quer conhecer um pouco mais de Santana? Comece por aqui.

0006125run-devil-run Paul McCartney – Run Devil Run (Outubro, 1999)

Preciso dizer alguma coisa? O ex-Beatle Sir Paul McCartney, que dispensa apresentações, levou às lojas Run Devil Run em 1999. Mais um disco solo produzido pelo britânico que contou com aquela “forcinha” dos companheiros David Gilmour (Pink Floyd) e Ian Paice (Deep Purple). O álbum contém regravações de Elvis Presley – que Deus o tenha – e Chuck Berry, além de contar com a participação do próprio. Foi o primeiro trabalho do compositor desde a morte de sua então esposa Linda Eastman. Não deixe de ouvir All Shook Up e Brown Eyed Handsome Man.

luther Dave Matthews And Tim Reynolds – Live at Luther College (Janeiro, 1999)

Primeiro registro comercial da dupla que se conheceu em meados da década de 80. O líder da Dave Matthews Band se une ao guitarrista Tim Reynolds e  executa uma série de hits em uma fenomenal performance acústica. São necessários apenas dois violões e uma voz intensa para realizar uma das mais notáveis apresentações daquele ano. O álbum duplo recheado de belas canções também traz músicas raras até então não editadas como Deed Is Done. Não perca de vista #41, Typical Situation e Say Goodbye.

181313korn_issues_aKorn – Issues (Novembro, 1999)

Quarto álbum de estúdio gravado pelos californianos do Korn traz um som pesado e cheio que oscila muito entre graves e agudos, principalmente pela versatilidade do vocalista Jonathan Davis. Com certeza o disco mais trabalhado da banda emplacou logo de cara nos primeiros lugares das paradas de sucessos e vendeu mais de três milhões de cópias. Nem pense em deixar de ouvir Falling Away From Me, Somebody Someone e Make Me Bad.

sm2 Metallica – S&M (Novembro, 1999)

Entrou para a história como o primeiro álbum de rock acompanhado por uma orquestra sinfônica. S&M é a abreviação para Symphony and Metallica. A banda juntou todas as suas principais composições ao poderoso som da Orquestra de San Francisco. O resultado foi muito além das expectativas de qualquer ser humano em sã consciência. Um clássico essencial na vida de qualquer rockeiro. Vale ouvir Enter Sandman, Until it Sleeps e Nothing Else Matters.

rage_against_the_machine_the_battle_of_los_angeles_front Rage Against The Machine – The Battle Of Los Angeles (Novembro, 1999)

Os ativitas do Rage Against The Machine haviam produzidos excelentes trabalhos até então, mas este foi o álbum que os colocou em evidência. As letras ácidas de Zack de la Rocha com os riffs de Tom Morello, o mais criativo guitarrista em atividade, transformaram o RATM em uma realidade que começou a chacoalhar o cenário político-musical dos Estados Unidos um ano antes da banda encerrar as atividades. Confira Guerrilla Radio, Sleep Now In The Fire e Testify.

stereo

Stereophonics – Performance and Cocktails (Setembro, 1999)

Após o grande sucesso do primeiro álbum Words Get Around, o segundo disco do Stereophonics foi produzido com o intuito de mostrar que a banda poderia ir além. Rápido, intenso e barulhento, Perfomance and Cocktails traz logo na capa uma referência à fotografia “O Beijo” de Robert Doisneau. A diferença é o romantismo, que não existe na versão dos galeses. Roll Up and Shin, Just Lookin’ e Bartender and the Thief Are Lovers ficam como recomendação para o leitor do blog Rock and Roll Train.